Domingo, 16 de Novembro de 2008

51- Um fim-de-semana antes do Natal

(continuação de 50- Já passei por aqui e um condutor nervoso)

 

A vida no quartel mantinha-se sempre igual e rotineira, mas era muito exigente para aquele meio, obrigava-nos a uma certa postura diária e a muita disciplina no vestuário, e ao cumprimento dos horários.


Entre o capinar e a plantação de abacaxis, havia sempre muitos trabalhos de manutenção ao quartel e de obras nas sanzalas.


Um certo dia, julgo que fui premiado sem o saber, fiquei de fiscal aos soldados que andavam a capinar o quartel.
A minha função era, mais ou menos, igual às do tempo das pirâmides do Egipto, obrigava-os a trabalhar e no final do dia identificava o trabalho feito, só me faltava o chicote.
É obvio que aquela tarefa era necessária, mas mesmo assim, parecia sempre um castigo para todos.


Eu, … desenfiava-me, e ainda mais do que os soldados.

 

Numa das minhas passagens pelo trabalho, encontrei sete indivíduos sentados em amena cavaqueira.
Perguntei-lhes:
- Então Quirino, o que estão a fazer?
- Estamos a capinar meu alferes.
- O que eu vejo é só conversa e estão num sítio onde nem sequer há capim.
– Alferes, a velhice é um posto e se nós estivermos aqui o capim não volta a crescer.


Um fim-de-semana antes do Natal, tive a sorte de assistir a um mercado. O Alto Chicapa ficou muito concorrido e com muita gente das sanzalas. Era um mercado da farinha de mandioca, bem como o de algum feijão proveniente das lavras.

 

 

Era vendido em parte a dois comerciantes ou trocados por peixe seco, carne seca, óleo de palma e panos.


Conheci bem um desses comerciantes, o Sr. Capela, um homem sempre prestável, pelo menos para os militares.

Nunca me esqueci do seu cozinheiro e dos seus valentes petiscos que tão bem sabia fazer com óleo de palma, e ... daqueles frangos, esfregados com sal e gindungo, que depois de assados davam para beber uma grade de cervejas.
 

( a seguir - O meu primeiro Natal em África)

 

publicado por Alto Chicapa às 12:01

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
16
17
19
20
22
23
25
26
27
29
30
31

.posts recentes

. 66- Conclusões

. 65- Epilogo / Fim da comi...

. 64- Epilogo / Destacament...

. 63- Três crianças no quar...

. 62- Os meus olhos já iam ...

. 61- Deslocação a Henrique...

. 60- O tchimbanda

. 59- A iniciação dos rapaz...

. 58- A iniciação das rapar...

. 57- Mergulhos no rio

. 56- Mudança no comando da...

. 55- Torneio de futebol

. 54- Férias no "Putu"

. 53- Sem reabastecimento e...

. 52- O meu primeiro Natal ...

. 51- Um fim-de-semana ante...

. 50- Já passei por aqui e ...

. 49- Uma jiboia e o ataque...

. 48- Formigas quissongo e ...

. 47- Perdidos na mata

. 46- Formigas térmites e d...

. 45- Operação "Pato 7212",...

. 44- Operação "Pato 7212",...

. 43- Operação “Pato 7212”,...

. 42- Operação "Pato 7212",...

. 41- Os preparativos da op...

. 40- Calejamento dos grupo...

. 39- Chuva diluviana

. 38- Missão humanitária

. 37- Primeiro passeio pelo...

. 36- O nosso aquartelament...

. 35- As sentinelas

. 34- Alto Chicapa

. 33- Alto Chicapa, a minha...

. 32- O que é que eu faço a...

. 31- Ordem de movimento pa...

. 30- Chuva e trovoada

. 29- Dois irmãos de mães d...

. 28- O povo e a vida difíc...

. 27- Longínqua terra para ...

. 26- Uma G3 e cinco carreg...

. 25- "Chindelo" só querer ...

. 24- O “nossoalferes” paga

. 23- O O. desenfiou-se

. 22- Fiéis katangueses

. 21- Ataque ao MVL (Movime...

. 20- Exército de mosquitos

. 19- Informação militar em...

. 18- Entregues a nós própr...

. 17- Os maçaricos

.arquivos

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.links

.On line

page counter
blogs SAPO

.subscrever feeds